O Jogo do Anjo é mais um dos livros que se retratam no famoso "Cemitério dos livros esquecidos", do Carlos R. Záfon

Sinopse: David Martín, um jovem escritor caído em desgraça, recebe uma oferta irrecusável. Andreas Corelli, homem tão amável - ele não é amável galera - quanto misterioso, lhe encomenda um livro que pode mudar o rumo da História.

Para ele, estão em jogo sua saúde, uma fortuna em dinheiro. E, possivelmente, muito mais que isso.

Como sempre, Záfon consegue construir uma narrativa bastante envolvente, num cenário absolutamente mágico, em uma Barcelona peculiar. Com as suas descrições encantadoras, os acontecimentos fluem de maneira a proporcionar uma leitura muito prazerosa. Zafón usa algumas fórmulas repetidas em seus livros, como cenários macabros (casarões mal assombrados, cemitério e céus cinzentos), personagens misteriosos, tom sombrio e muito suspense. Porém, a fórmula acaba dando certo, pois consegue prender a atenção do leitor.

Dessa vez, somos convidados a conhecer David Martín, um escritor talentoso, que teve uma vida bastante conturbada. O seu pai foi assassinado, quando David ainda era uma criança, no lugar do magnata Pedro Vidal, que acaba se tornando seu amigo da onça e mentor. Martín começa a trabalhar no “La Voz de La Industria”, o jornal onde seu pai trabalhava e onde foi morto.

Porém, devido ao seu talento, seus colegas começam a ter ciúmes do sucesso que Martín consegue, e o escritor acaba sendo demitido. Após trabalhar para uma dupla de empresários inescrupulosos, David recebe uma proposta bastante inusitada do misterioso editor de Paris, Andreas Corelli: escrever um livro sobre religião, que mexerá com a história da humanidade, que irá fazer as pessoas matarem e morrer por ela. Para isso, o escritor irá receber uma quantia considerável de dinheiro. Destaco aqui os diálogos entre o editor Andreas Corelli e David Martín sobre religião. Achei bastante inteligentes, pontuando dúvidas e reflexões sobre crenças.

O seu amigo Vidal acaba se casando com a única mulher que Martín chegou a amar, Cristina. Aturdido, Martín começa a escrever a tal história. Nesse meio tempo, ele acaba abrigando em sua casa Isabella, uma jovem inteligente que sonha em ser escritora e, para isso, convence Martín a ser sua assistente. Isabella acaba se tornando uma boa amiga do escritor. Começa a ajudá-lo com os afazeres da casa e cria uma rotina para Martín. 

Isabella é uma das personagens que irão cativar os leitores. A jovem é assistente de David e aspirante a escritora. De tanto insistir, a garota acaba sendo aceita pelo jovem escritor e se tornando amiga dele. Os diálogos, cheio de ironia e sarcasmo, entre a jovem e o protagonista irão divertir os leitores. Apesar de geniosa, Isabella tem um grande coração, além de ser leal e se preocupar com o bem-estar de seu mentor. Nas últimas páginas do livro será revelado que Isabella tem uma forte ligação com Daniel Sempere, o leitor protagonista de A sombra de vento. Para não estragar a surpresa, não será revelada qual é essa ligação. Confesso que me apaixonei por ela, rs.

Algumas coincidências começam a aparecer na vida do escritor. O casarão que ele mora, que todos dizem que é mal assombrado, pertenceu a Diego Marlasca, que ao que tudo indica, também era escritor e tentou elaborar o mesmo romance encomendado pelo “patrão” a Martín. David começa a investigar os estranhos acontecimentos que rondam o “patrão”, Andreas Corelli, Diego Marlasca e todos envolvidos com eles, que acabam levando um triste fim.

Alguns personagens e lugares de “A Sombra do Vento”, como o Cemitério dos Livros Esquecidos, a Livraria Sempere e Filhos, o pai e filho Sempere, Barceló e outros acabam cruzando esta narrativa.

O tom de suspense e sobrenatural ronda o romance e os personagens são tão bem construídos que o leitor delicia-se com a história. Ficava com vontade de tomar o café boliviano do armazém do pai de Isabella toda vez que abria o livro. Perdi-me nos labirintos da cidade, de uma Barcelona de céu cinzento, gelada e apaixonante, como o próprio romance.

2 comentários:

  1. Adorei a resenha, leio pouco , por falta de tempo , mas me deu vontade de ler este livro!
    Beijinhos e feliz semana!

    http://zenafashion.blogspot.com.es/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena que você tem pouco tempo pra ler, é um passatempo ou hobby tão bom,
      .
      Uma ótima semana pra vocês também.

      Excluir

Diga algo idiota ou inteligente, não importamos desde que seja sobre a gente.
Rima tosca,
by:
Apolo

Tecnologia do Blogger.

Sejam bem vindos.

Hoje é:

Parceiros

Postagens populares

Seguidores